Skip to content Skip to footer

Dia da Espiga

O Dia da Espiga, ou quinta-feira da espiga, é uma comemoração tradicional portuguesa que acontece no dia da Ascensão, uma festa católica celebrada 39 dias depois da Páscoa. Ainda como antigamente, neste dia é comum as pessoas fazerem um passeio matinal para procurar vários cereais e flores, de forma a criar o seu ramo.

O grande símbolo do Dia da Espiga é o Ramo da Espiga que, tradicionalmente, é colocado na parte de trás da porta principal da casa. O ramo fica lá todo o ano a secar até ser substituído no ano seguinte por um novo ramo, símbolo de sorte e prosperidade do lar.

O Ramo da Espiga normalmente é composto por diversas plantas além da espiga, como a papoila, o malmequer, a oliveira, o alecrim e a videira, tendo cada uma o seu significado.

– A espiga deve estra sempre em número impar no ramo, sendo a parte mais importante do mesmo. A espiga pode ser de trigo, centeio, aveia ou outro cereal, de maneira a representar o pão, como a base do sustento da família.

– A papoila significa o amor e a vida devido à sua cor vibrante e chamativa, o vermelho.

– Como símbolo da riqueza no ramo está o malmequer, a sua cor branca representa a prata e a sua cor amarela representa o ouro.

– A oliveira tem um duplo significado, representando a paz e a Luz Divina da religião.

– Com o seu cheiro forte e duradouro, o alecrim simboliza a força e a resistência por ser uma planta que resiste a quase tudo.

– A videira é uma planta que simboliza o tão importante vinho, assim como a alegria que deve existir numa casa.

Neste dia existe também a tradição de se guardar um pão, para que este alimento não falte durante todo o próximo ano. Como prova da santidade do dia, este deve ser comido “sem bolor” no ano seguinte uma vez que não se irá estragar.

Dia da Espiga - Jomafel Padaria